Franky

28 01 2011

Então FINALMENTE estreou. Pra falar a verdade até que passou rápido 2010. Eu lembro como se fosse ontem a minha espera cruel pelo último episódio da segunda geração, mas enfim. Eu juro, JURO que achava que a estréia seria dia 28. Quando eu fui dar uma olhada na comunidade e vi um “ESTREOU HOJE” fiquei totalmente lokadocu e saí pela casa correndo, pelado, com as mãos pro alto.
Tá, brimks, eu não fiz isso.

Mas então. Terceira geração. É. Ouve taaanto blábláblá sobre ela que meuzeus, tinha coisa que eu não aguentava ler, ainda mais partindo de gente que nem fazia idéia do que era Skins e que havia começado a assitir pela terceira temporada e neglenciava as anteriores… Ouvi tanto sobre como os atores novos eram feios, sobre como não acreditavam que a geração anterior não estaria nela, sobre como a Effy era obrigada a continuar na série por ela ser o elo que liga todas as fases… bem. Eu realmente gostei do primeiro episódio e acho que essa pode sim ser uma ótima temporada e um bom início para a nova geração. Skins não morreu em sua essência. Pra quem acompanha a série desde o início, Skins ainda está lá.


O episódio foi centrado na personagem Franky. E bem, depois do Tony ser seguido pela trágica besteira que fizeram com a Effy, acho que a Franky será uma ótima protagonista. Alguém mais sano, sabe? Quero dizer, nada contra o Tony, ele foi um personagem realmente excelente e eu amo a Effy, mas eles tinham problemas. Like, really serious issues, if you know what I mean. Sei que essa era a graça deles, mas estava na hora de mudar porque, afinal, o lance com a Effy não deu muito certo. Enfim, criarem alguém com a personalidade da Franky para substituir isso foi uma ótima escolha. Porque se tem alguma coisa que ficou faltando na segunda geração foi um personagem bem elaborado e eu achei que a Franky supriu essa necessidade.

Estavam comentando sobre não ter personagens gays nessa geração. Eu realmente duvido que os criadores neglenciem a nossa realidade. Quero dizer, gays estão por todo o lado e mesmo que nenhum dos oito personagens tenha o mínimo de inclinação homo-friendly, ainda temos os pais da Franky, não é? Que, by the way, são TÃO fofos. Eu os amei, sério, e aguardo ansiosamente para ver mais deles.

Enfim. Skins 5 finalmente começou e eu não podia estar mais ansioso para ver o que guardaram para os próximos episódios.
Que venham.

Anúncios




Skins: Terceira Geração – Opening Theme

29 12 2010

Saiu hoje no site oficial a nova opening de Skins, além de um trailer no The Sun.

E… Fat Segal mudou a melodia. De novo. Não que isso seja um problema, fizeram o mesmo na segunda geração e ninguém morreu. Eu não, pelo menos.
Enfim, por enquanto, eu gostei (não tanto do tema novo) e estou ansioso para a quinta temporada e o que os personagens novos guardam… embora as comparações e os berros dizendo que vai tudo ser um lixo já começaram. Eu já simpatizei pela provável nova líder da turma nova que, pela opening, deve ser a branquinha de cabelo curto.

Por ora eu só gostaria de saber quando Skins 5 vai estrear e se a droga do filme realmente vai acontecer.
Maldita E4.





Glee: 2ª Temporada

20 09 2010


E a espera finalmente será recompensada.
Sabe quando uma pessoa fica meses, anos, décadas sem fumar, sem sentir um pingo da sensação da nicotina se espalhando pelo corpo? E sabe quando a recompensa por todo esse tempo sofrido e miserável é acabar se permitindo provar do veneno proibido novamente? Nunca fumei, mas deve ser o mesmo que eu sinto com Glee. Não que eu QUISESSE parar de assistir a novos capítulos, é mais como se eu fosse OBRIGADO. Afinal, eles precisam de um tempo para criar e gravar capítulos novos.

Pra aqueles que acompanham a série desde o início pela estréia original americana, as pausas de Glee têm sido maçantes. (Não assistam a dublagem nojenta da FOX Brasil, gente. Um pouco do seu dinheiro sujo pode pagar uma Internet boa o suficiente para baixar legendas em português, para quem não sabe inglês). Houve nada menos que TRÊS PAUSAS em uma temporada só. Mas fã que é fã, aguarda pacientemente. Ou não. Quero dizer, quando eu soube que teria de esperar três meses por episódios novos eu fiquei assim:


Mas fã que é fã aguarda. Eu aguardei, e agora terei minha nicotina de volta. Tendo de cor e salteado na memória as coisas pelo o que realmente valeram a pena esperar esse tempo todo, como o primeiro namorado do Kurt e a revelação DISSO. Além disso, eu já estava com abstinência de Sue Sylvester.
A segunda temporada de Glee começa amanhã, dia 21 nos Estados Unidos e quarta-feira quando voltar da faculdade eu finalmente vou ter essa porra baixada para assistir e ter horrores de orgasmos com os novos modelitos do Kurt e a versão de Telephone da Lea Michele.

Enfim, para comemorar, uma reprodução de I Say a Little Prayer que vale a pena ser notada.
O vídeo original pode ser visto aqui.





Skins: Terceira geração

10 08 2010

Meu, cadê a luz interior dessa terceira geração de Skins? Cadê o brilho? O glamour? Não to sentindo firmeza. Será que vai prestar? Já me doeu ter meus personagens preferidos substituídos uma vez e só aguentei por causa da Effy e da Pandora. Estou curioso para saber como eles vão fazer a ligação da segunda geração com a terceira já que nenhum personagem antigo parece ter permanecido. Na primeira troca teve a Effy, mas dessa vez nem uma cara conhecida pra jogar para a próxima geração eles tiveram a coragem de fazer.

Mas confesso que achei o moreno de hoodie roxo uma gracinha.


A terceira geração de Skins será apresentada no primeiro filme spin-off e acredito que a série 5 irá ao ar no início do ano que vem.
Aguardemos.





Sherlock: Um Estudo em Rosa

26 07 2010

Nesse último domingo, dia 25, estreou uma nova adaptação da série de Sherlock Holmes, dessa vez para a TV e, graças aos céus, genuinamente britânica em todos os sentidos. Depois do fiasco que foi esse último Sherlock Holmes para os cinemas, que eu descreveria como uma piada ridiculamente transformada em filme de ação, dá gosto de ver uma coisa decente sendo feita com a herança que Conan Doyle gentilmente deixou para a Literatura ocidental.


Pra ser sincero eu não estava botando muita fé nessa série, não, exatamente por todo esse teor homoerótico que estava sendo insinuado sobre ela, coisa que muito provavelmente poderia colocar a relação de Sherlock com Watson em risco. Mas eu quebrei a cara, eles conseguiram dar um toque não só genial e engraçado com a obra canonica como ainda foi deixado um suspense incrível por debaixo dos panos sobre a sexualidade de Sherlock. No fim deu na mesma: aquela mesma relação de amizade restrita e deliciosamente profissional que é vista nos livros, e não aquela idéia do filme americano de colocar ambos como se fossem um casal de velhos brigando por qualquer coisa.

Vou falar. Eu tive orgasmos com a atuação de Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes. É sensacional. Eu poderia passar o dia inteiro elogiando sem cansar. Não tem como descrever a naturalidade que ele conseguiu assumir aquela personalidade excêntrica e em necessidade de estímulo mental como se isso fosse o seu oxigênio. Cumberbatch merece uma estátua em sua homenagem. Não é qualquer um que consegue dar vida a um dos personagens mais bem construídos da história da Literatura. Agora quanto ao Martin Freeman eu sou suspeito pra falar porque eu amo o Freeman, ele é uma das coisas mais fofas desse planeta e eleéfofo-eleéfofo-eleéfofo e ficou perfeito como Watson <3.

Enfim, “Sherlock” é interessante porque traz a história e a complexidade dos mistérios para esse nosso mundo atual que é forrado de tecnologia por todos os cantos. Quem gosta dos livros provavelmente vai adorar a série porque ela inova a história sem que nada exatamente gritante seja perdido, e até quem nunca ouviu falar sobre Sherlock Holmes na vida vai poder apreciá-la em seu máximo: Ela é auto-suficiente.

Fica a dica.








%d blogueiros gostam disto: