Change is good

6 09 2010

De uns tempos pra cá algumas pessoas que me conhecem há, sei lá, no mínimo uns três ou quatro anos começaram a dizer o quanto eu mudei depois de entrar para a faculdade. Mas pra ser sincero eu não vejo tanta mudança assim, não. Do jeito que falam parece até que eu sofri uma metamorfose da Madre Tereza de Calcutá para uma Bruna Surfistinha da vida.

As pessoas tendem a possuir uma idéia muito negativa do que seja mudar de opinião sobre certas coisas. Algumas associam como ter a mente fraca, ser Maria-vai-com-as-outras ou coisa parecida. Eu não vejo dessa forma. Com um certo limite estipulado, eu sempre fui muito aberto para opiniões e idéias novas. Se convencer do contrário do que costumava pensar não significa ter a mente fraca, algumas vezes apenas significa ser inteligente. Eu acho que só pessoas burras teimam a vida toda sobre uma opinião distinta na tentativa de querer ser autêntico e com opinião auto-suficiente. Uma coisa é defender seus princípios, outra coisa é não querer ver o outro lado da história com medo de que você esteja realmente errado.

Acho que ainda sou o mesmo nerd otaku que gasta horrores (e agora com bolsa acadêmica, xô pobreza!) em coisas inúteis e não pretendo deixar de ser essa pessoa por enquanto, porque essa pessoa ainda sou eu. A diferença é que agora eu gosto de sair pra beber e dançar com alguns amigos. Qual é o problema?

[“Gente bonita”]








%d blogueiros gostam disto: