Seja homem!

13 03 2010


Brincadeiras a parte sobre as pessoas empregando o “seje” onde não devem, eu acho que já tive minha cota de ouvir a exclamação do “Seja homem!” por uma vida inteira. Acho até que a frase virou tão comum que pode ser uma interjeição perfeita para se por num livro de gramática. Eu por exemplo cresci sendo forçado a ouvir do meu pai que eu deveria ser “homem” no repeat mode. É engraçado até como na minha infância eu aparentemente tinha deixado de ser homem por não comer a refeição inteira ou por bater o pé fazendo cara feia para um certo tipo de alimento.

Algumas pessoas até começaram a falar o “Seja mulher!”. Eu não entendo, pra mim isso não passa de uma ofensa ridiculamente ultrapassada. Eu pelo menos me consideraria homem em qualquer circunstância só pelo fato de ter algo no meio das pernas. Acho que as pessoas confundem muito o “Ser homem” com ter integridade, coragem ou confiança em si mesmo. E no final das contas uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Fico pasmo de como o adjetivo de “homem” engloba tanta coisa.  Ironicamente, as definições até podem variar de pessoa pra pessoa. Sabem aquela coisa do “amigo gay” que tanta gente reclama? Para mim é a mesma coisa. Sou homem? Sou, mas não me defino por isso como um adjetivo.

Vamos evoluir no conceito, galere.








%d blogueiros gostam disto: